22.1 C
Rio de Janeiro
quinta-feira, setembro 24, 2020
- Publicidade -

Céu lança clipe de “Corpocontinente”

- Publicidade -
- Publicidade -

No segundo single e clipe de seu mais recente trabalho, “APKÁ!”, a cantora e compositora Céu utiliza uma licença de justaposição da língua portuguesa para traduzir saudade para o mundo, com “Corpocontinente”. A canção é uma parceria com o francês Hervé Salters e ganha filme na leitura do diretor Rodrigo Saavedra.

O lançamento sai pelo slap, selo da Som Livre e está disponível nas plataformas de música.

O disco, lançado em setembro de 2019, traz em seu batismo outra figura de linguagem, com o nome em referência à primeira palavra que o segundo filho da cantora, Antonino, falou.

Ele nasceu após o lançamento do disco anterior dela, “Tropix”, em 2016. No espaço entre o quarto e quinto álbum de estúdio de Céu, muita coisa aconteceu e o resultado é consolidado em “APKÁ!”, em faixas como “Corpocontinente”, onde ela tanto abraça quanto subverte o posto de representante da nova MPB.

- Publicidade -

A obra de Céu é marcada pelo posicionamento político sem panfletagem. Também pela abordagem romântica da existência. No single e clipe novos ela monta a equação de saudade na soma de duas pessoas, dois corpos, dois continentes em que o sentimento “(…) se faz/ Quando a soma de dois/ Resulta em um/ Sentido só para nós”.

“O resultado apresenta um clipe extremamente brasileiro e tropical, porém a maneira como as coisas são filmadas e consolidadas, vira absolutamente contemporâneo e mundial. Então vejo referências do Brasil e vejo do mundo, e acho que trata de um sentimento amoroso, e de uma relação, que é a saudade, por um outro ponto de vista extremamente interessante”, diz Céu.

No filme produzido pela LANDIA, Céu canta sob um passeio em delírio em embarcação, em fuga de universo distópico enquanto a saudade é encoberta por cortina de fumaça num remar em oceano onírico.

“A ideia do clipe partiu principalmente do nome da música: Corpocontinente. Esse híbrido entre uma relação com uma pessoa, e uma relação com a terra. A canção tem um ar melancólico e quase nostálgico, que poderia se aplicar a um relacionamento amoroso que terminou. Só que eu escolhi retratar a Céu como uma espécie de personificação da natureza. Portanto nesse caso o homem sente saudade dessa relação que tinha com a floresta, uma floresta que já não existe mais no mundo distópico no qual ele vive”, explica Saavedra.

O primeiro single do trabalho foi “Coreto”, lançado em clipe também produzido pela LANDIA no ano passado e que já bate em um milhão de views. A canção é de autoria de Céu. Mas APKÁ!”, é plural ao apresentar composições de Caetano Veloso (“Pardo”) a (“Make Sure Your Head is Above”) Dinho Almeida (Boogarins), além de produção da canção original – “Eye Contact” – pelo duo Tropkillaz.

O disco tem previsão de lançamento global para o final de abril.

Boletim Carioca

Assine nossa Newsletter e receba as últimas notícias e ofertas de nossos parceiros em seu email

Veja Também

Últimas Notícias

- Publicidade -