27.3 C
Rio de Janeiro
sábado, setembro 26, 2020
- Publicidade -

As tensões no Oriente Médio continuam a gerar refúgios (tesouros, ienes, ouro), ganhos de pares de petróleo e problemas de volume do Bitcoin

- Publicidade -
- Publicidade -

As ações globais continuam caindo à medida que os mercados financeiros se preparam para o próximo passo do Irã, após a morte na semana passada do general comandante geral do Irã, Qassim Soleimani. Hoje, Teerã recebeu o funeral de Soleimani, portanto, talvez não veremos nenhum dos planos de “vingança severa” ainda. Os mercados financeiros esperam amplamente que um dos próximos passos do Irã seja uma resposta militar que levará à perda de soldados americanos.

O presidente Trump continuou a aumentar a pressão sobre o Irã no fim de semana twittando: “Deixe isso servir como um AVISO de que, se o Irã atingir algum americano, ou ativos americanos, teremos como alvo 52 locais iranianos, alguns em um nível muito alto e importante para o Irã e a cultura iraniana, e esses alvos, e o próprio Irã, SERÃO ATINGIDOS MUITO RÁPIDO E MUITO FORTE”. Muitos democratas do Congresso estão chateados que o presidente Trump não os consultou antes do ataque aéreo da semana passada e estão buscando um voto em uma resolução das potências de guerra esta semana. Não está claro se os democratas na Câmara terão apoio suficiente para aprovar essa votação, mas é claro que eles querem limitar a resposta militar do presidente quando o Irã responder.

Muitos líderes são contra a ameaça de Trump de atacar lugares culturais, mas nada disso pode importar se o próximo passo do Irã levar a uma perda significativa de vidas americanas. Os EUA e o Irã estão avançando em direção a um conflito militar que poderia facilmente causar uma correção de 10% nas próximas semanas. Se os contratos futuros do S&P 500 quebrarem abaixo de 3.000, o suporte principal virá da região de 2.940. O caso geral de boatos para 2020 ainda permanece em vigor, pois ainda há expectativas de que a resposta do Irã seja um tanto medida, pois eles não tentarão desencadear completamente uma guerra, pois não podem corresponder ao poder militar dos EUA. As ações dos EUA têm espaço para mais pressão à queda, mas ainda devem permanecer atraentes, pois o consumidor americano permanece forte, o Fed está em espera e o crescimento econômico ainda deve permanecer em torno de 2% este ano.

Tesouro

- Publicidade -

As apostas acentuadas na curva de juros estão lutando, com as tensões no Oriente Médio aumentando a demanda por refúgios. O rendimento do Tesouro a 10 anos quase superou 1,95% na semana passada e agora se encontra abaixo do nível de 1,80%. É provável que o movimento defensivo persista e as negociações mais acentuadas podem ter dificuldades, à medida que os mercados abandonam o comércio global de reaceleração por enquanto.

Ienes

O dólar-iene encontrou algum apoio para começar a semana após os dados aprimorados do PMI dos serviços da zona do euro que sugerem estabilização na região. Os mercados de moeda permanecem focados nas tensões no Oriente Médio e, se virmos um dia de risco, o dólar-iene pode atingir 106,50.

Petróleo

Os preços do petróleo continuam em alta, com as tensões no Oriente Médio aumentando os riscos de interrupções no espaço energético. A resposta do Irã à morte de seu principal comandante pode levar a um conflito militar em uma região importante de produção de petróleo. Poderíamos ver alguma interrupção no Estreito de Ormuz, que em 2018 movimentou 21 milhões de barris de petróleo por dia, bem mais de 20% dos trânsitos de petróleo do mundo.

Os preços do óleo ainda estão em risco de outro surto se a resposta do Irã tiver um impacto direto na produção ou transporte de petróleo. Parece improvável, mas se víssemos o Estreito de Ormuz encerrar os preços do petróleo poderiam subir mais de US$ 20. Qualquer grande perturbação no Estreito rapidamente veria ação dos EUA, Europa e China com o uso de suas respectivas reservas estratégicas de petróleo.

Ouro

Os preços do ouro podem continuar a acelerar, à medida que as tensões no Oriente Médio se intensificam e à medida que os investidores se tornam cautelosos com as ações globais no curto prazo. Os mercados financeiros estão buscando conforto em ouro, pois não têm ideia de como e quando o Irã responderá ao assassinato de seu principal comandante na semana passada. Apesar do aumento do ouro para o nível mais sobrecomprado em duas décadas, pudemos ver um momento de alta adicional na quebra do nível de US$ 1.600 a onça. Se o ouro não atingir US$ 1.600 nas próximas duas sessões, poderemos ver lucros tendo temporariamente a queda dos preços na região de US$ 1.560.

Bitcoin

Os ganhos limitados de refúgio do Bitcoin podem estar perdendo força nos próximos dias, pois os volumes caem para os níveis mais baixos desde abril, quando os preços mal chegavam ao nível de US$ 4.000. Se o Bitcoin não ultrapassar o nível de US$ 8.000 nesta semana, poderemos ver os vendedores de cripto retornarem agressivamente.

INFOGRÁFICO/OANDA - As tensões no Oriente Médio continuam a gerar refúgios, ganhos de pares de petróleo e problemas de volume do Bitcoin
INFOGRÁFICO/OANDA – As tensões no Oriente Médio continuam a gerar refúgios, ganhos de pares de petróleo e problemas de volume do Bitcoin

Boletim Carioca

Assine nossa Newsletter e receba as últimas notícias e ofertas de nossos parceiros em seu email

Veja Também

Últimas Notícias

- Publicidade -