27.8 C
Rio de Janeiro
domingo, setembro 27, 2020
- Publicidade -

MPF quer pena maior para comerciante que explorou chineses em pastelaria no Rio

- Publicidade -
- Publicidade -

O Ministério Público Federal (MPF) quer que o comerciante chinês Liu Tianjun, dono da Pastelaria Copacabana, no Rio de Janeiro, tenha uma pena maior por submeter três chineses que trabalhavam na loja a condições análogas à de escravo. Ele foi condenado por esse crime a uma pena de dois anos e oito meses de reclusão em regime aberto, além de multa, e foi absolvido da acusação de ocultar ou introduzir estrangeiro de forma clandestina. Os recursos do MPF e da defesa contra a sentença estão pautados para serem julgados nesta quarta-feira (30) pelo Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF2).

O MPF narrou na ação que, durante oito meses, os três chineses cumpriram jornadas extenuantes na cozinha da pastelaria e, à noite, se recolhiam em um quarto pequeno e mal ventilado do apartamento do patrão, que os monitorava por câmeras e impedia seu acesso à sala. Sem carteira de trabalho, eles tinham o salário retido e seus passaportes tinham os vistos de turismo expirados. O ponto de partida da ação foi uma fiscalização em 2015 que verificou tratamento distinto aos funcionários brasileiros, seguindo lei trabalhista, e chineses, aproveitando seu isolamento pela barreira do idioma e situação migratória irregular.

Em seu recurso, o MPF pediu ao Tribunal que amplie a pena em, no mínimo, um ano por agravantes como as circunstâncias do crime: duração do delito, número e perfil das vítimas (estrangeiros que não falavam português) e sua forma de recrutamento (aliciadas na China para trabalhar em condição de servidão no Brasil).

“É preciso aumentar a pena-base para que se imponha ao condenado Liu Tianjun a sanção que reflete a reprovação estatal do crime cometido, objetivando a prevenção do crime e sua correção. É através desta punição que o Estado exterioriza e concretiza a reprovação do ato especialmente grave praticado”, afirmou o procurador regional da República Maurício Manso em manifestação ao TRF2.

Boletim Carioca

Assine nossa Newsletter e receba as últimas notícias e ofertas de nossos parceiros em seu email

Veja Também

Últimas Notícias

- Publicidade -