36.1 C
Rio de Janeiro
domingo, setembro 27, 2020
- Publicidade -

Em formato virtual, Parada do Orgulho LGBTI acontece neste domingo

- Publicidade -
- Publicidade -

Por conta da pandemia da covid-19, a maior manifestação por direitos humanos e igualdade no Brasil, a Parada do Orgulho LGBTI de São Paulo, teve sua 24ª edição adiada e prevista para o dia 29 de novembro. A informação foi divulgada pela ONG APOGLBT SP, organizadora do movimento que reúne milhões de pessoas na Avenida Paulista desde 1997. 

Mas, para manter a comunidade LGBT+! mobilizada e com segurança em suas casas, uma versão virtual do evento está ocorrendo neste domingo (14), a partir das 14h, no canal oficial da Parada no Youtube. 

A apresentação é feita por produtores de conteúdo LGBTI, como Louie Ponto, Spartakus Santiago, Lorelay Fox, e Nátaly Neri. Também participam as artistas Wanessa Camargo, Ivete Sangalo, Liniker e Gloria Groove.

Leia também: Ceará é o primeiro estado brasileiro a permitir doações de sangue de homossexuais

- Publicidade -

O tema do ato virtual é democracia – o mesmo que já havia sido confirmado para a atividade presencial – e o slogan: Sejamos o pesadelo dos que querem roubar a nossa Democracia, pretende denunciar a violação de direitos da população LGBTI e de todas as populações que vêm sendo ameaçadas pela escalada do autoritarismo e do fascismo. 

Segundo o manifesto divulgado pela organização, o Brasil enfrenta nos últimos anos “exemplos intermináveis” de ataques à democracia que vão além do ataque a comunidade LGBT+,  como o acirramento das desigualdades, o fim dos direitos trabalhistas, a devastação ambiental e de comunidade indígenas, e o aumento dos casos de feminicídios.

 “O que vemos no Brasil é a polícia que mais mata e mais morre no mundo, manifestações e protestos que vem sendo reprimidos, acusações sem provas e ressurgimento de simpatizantes de regimes ditatoriais. Palavras que deveriam ter sumido do nosso vocabulário, como nazismo, fascismo e racismo voltaram na teoria e na prática”, diz um trecho do manifesto. 

::Dia Internacional de Luta contra a LGBTfobia é marcado por manifestações virtuais::

O texto também evidencia que é o momento de uma ação coletiva para unir a sociedade civil e todas as organizações que têm “apreço pelo regime democrático”.

Assim como a Parada,  outras ações previstas para o Mês do Orgulho LGBT+ foram reagendadas. É o caso do Prêmio Cidadania em Respeito à Diversidade (19/11), a Feira Cultural da Diversidade (20/11), a Corrida Diversity Run Celebration (20/11), e também o Encontro de Organizadores e os Jogos da Diversidade (21/11).

::Aprofunde-se: O que significa ser antifascista e por que o bolsonarismo é o fascismo do século 21::

Edição: Rodrigo Chagas


Boletim Carioca

Assine nossa Newsletter e receba as últimas notícias e ofertas de nossos parceiros em seu email

Veja Também

Últimas Notícias

- Publicidade -