35.1 C
Rio de Janeiro
domingo, setembro 27, 2020
- Publicidade -

Campanha virtual alerta sobre respeito à direitos sexuais e reprodutivos na pandemia

- Publicidade -
- Publicidade -

Neste período de quarentena, o isolamento social impõe diversos desafios e cuidados com a saúde física e mental. Pensando nos dados de aumento de violência doméstica contra a mulher a no atendimento à saúde de pessoas que vivem com HIV e Aids, a ONG Gestos lançou neste mês de junho a campanha “Fique em casa. Mas leve junto os direitos sexuais e reprodutivos”.

::Covid-19: Brasil supera Reino Unido e já é o segundo país do mundo com mais mortes::

O objetivo da campanha é chamar a atenção para o tema, mostrando que, mesmo em isolamento social, os direitos reprodutivos e sexuais permanecem válidos e devem ser exercidos.Acompanhada da hashtag #FicaEmCasaComDireitos, a campanha também pretender alertar sobre situações de violência contra a mulher e de gênero, sobre o direito ao aborto legal e a importância de se manter informada e de denunciar situações de violência, inclusive durante o período de distanciamento social. 

Dados preocupam

- Publicidade -

Segundo o Fórum Brasileiro de Segurança Pública, o número de feminicídios cresceu 22% em 12 estados brasileiros nos meses de março e abril de 2020.

 Outro dado alarmante em relação ao direito reprodutivo das mulheres durante a pandemia refere-se ao atendimento para aborto legal nos hospitais que realizam o procedimento no país. Um levantamento da ONG Artigo 19, em parceria com a revista AzMina e a Gênero e Número, para identificar como está o serviço de aborto legal no Sistema Único de Saúde (SUS), mostrou que apenas 55% dos serviços que oferecem esse tipo de atendimento estão funcionando durante a pandemia. No Brasil, o aborto é permitido por lei quando a gestação é resultado de uma violência sexual, em casos de anencefalia (feto sem cérebro) e quando há risco de morte para a gestante.

A pandemia afetou também o atendimento de saúde às pessoas vivendo com HIV e Aids. Pesquisa da Anaids (Articulação Nacional de Aids) e da Parceria Brasileira contra a Tuberculose mostrou uma redução de 40% das equipes e de 35% das consultas durante a pandemia da covid-19.

Gestos mantém atendimento especial durante a pandemia

Durante a pandemia do novo coronavírus a Gestos manteve o serviço de testagem para HIV em funcionamento. O serviço é gratuito e atende, com hora marcada, jovens com idades entre 18 e 29 anos. Para agendar, é preciso ligar para (81) 3421-7670.

A Gestos também lançou um Serviço de Informações sobre Saúde e Sexualidade por telefone. Jovens e adolescentes poderão conversar sobre os temas relacionados aos Direitos Sexuais e Direitos Reprodutivos com segurança e confidencialidade, sem preconceitos, de segunda a sexta-feira, com horário marcado. O agendamento também é através do número (81) 3421-7670.          

Fonte: BdF Pernambuco

Edição: Marcos Barbosa e Raquel Júnia


Boletim Carioca

Assine nossa Newsletter e receba as últimas notícias e ofertas de nossos parceiros em seu email

Veja Também

Últimas Notícias

- Publicidade -