Thammy Miranda deve assumir cargo de vereador em São Paulo
Thammy Miranda deve assumir cargo de vereador em São Paulo

Uma dança das cadeiras na Câmara Municipal de São Paulo deve promover a chegada de uma figura conhecida do grande público ao corpo de vereadores do Legislativo paulistano.


O ator Thammy Miranda, 36, que se candidatou pelo PP, recebeu 12.408 votos nas eleições de 2016 e ficou como suplente. Agora, com a saída de alguns vereadores, ele deve ocupar uma cadeira na Casa a partir de março.


As partidas de Conte Lopes (PP) e David Soares (DEM), eleitos para os cargos de deputado estadual e federal, respectivamente; a cassação de Camilo Cristófaro (PSB); e a manutenção do vereador Edson Aparecido (PSDB) no cargo de secretário municipal de Saúde, são os fatores que deverão levar Thammy, filho da cantora Gretchen, à Câmara Municipal. 


À época de sua candidatura, Thammy, que é transexual, recebeu críticas de representantes de diferentes grupos que defendem causas LGBT por ter escolhido participar das eleições pelo PP, partido que à época abrigava Jair Bolsonaro, que acabou lançando-se à presidência pelo PSL.


“Em um governo tão conservador venho eu assumir como vereador. Acho que Deus quer dizer algo com isso”, disse Thammy à reportagem nesta quinta-feira (3), em referência ao agora presidente Bolsonaro.


“Não é possível que algum ser humano nessa terra, sabendo da minha luta, de tudo que eu venho tentando conquistar, o espaço que eu venho tentando conquistar e a minha luta para ser quem realmente eu sou, vai me vincular com um cara desses. A gente não tem nada a ver, as nossas opiniões são completamente divergentes, acho que não temos uma opinião que seja a mesma”, disse Thammy sobre Bolsonaro à época, após não conseguir se eleger. O ator assumiu a coordenação de ala do partido chamada “PP-Diversidade”.


Bolsonaro disse então, em entrevista ao jornal Extra, que gostava de Thammy porque ele conversava e não brigava. “Apesar de não nos alinharmos em algumas questões da causa LGBT, é uma pessoa aberta ao diálogo e isso que é importante. Na política temos que conviver com diferentes”, afirmou.


No entanto, seu filho Eduardo Bolsonaro (PSL), agora deputado federal, ironizou a filiação de Thammy ao PP em suas redes sociais. “Será que rola dele [Jair Bolsonaro] criar o PP-Hétero? Ou seria homofobia?”.
Entre as pautas defendidas por Thammy quando candidato estavam cotas universitárias e profissionais e atendimento humanizado no SUS para transexuais. Disse também que lutaria pela inclusão de discussões de gênero nas escolas públicas municipais.