O prazo para o alistamento no serviço militar de 2019 já começou e quem nasceu em 2001 deve fazer o registro no site alistamento.eb.mil.br.

O alistamento pode ser feito até o último dia útil do mês de junho e é necessário que o jovem tenha um número de CPF para validar as informações. Aqueles que não possuem CPF devem levar a certidão de nascimento, um comprovante de residência e a identidade para a Junta Militar.

Os convocados vão passar por uma seleção entre julho e outubro e, depois, vão receber o treinamento nos quartéis do Exército, da Marinha ou da Aeronáutica.

Caso o jovem perca o prazo para se alistar, é preciso procurar a Junta Militar para quitar a multa de R$ 4,14. Além disso, quem ficar irregular com o serviço militar fica impedido de assumir cargo público, tirar passaporte e se matricular em instituições de ensino.

De acordo com o coordenador do Serviço Militar do Ministério da Defesa, coronel André Buarque, existem situações específicas em que os rapazes podem ser dispensados do alistamento, como por exemplo, ser o único responsável pelo sustento da família, ou então se a pessoa tiver alguma necessidade especial.

“São aqueles que é o único provedor da família, aqueles que tem incapacidades que são notórias: pessoas sem visão, pessoas surdas, pessoas com deficiências de locomoção. Então, essas pessoas devem fazer o seu alistamento de forma presencial nas juntas de serviço militar mais próxima da sua residência.”

O candidato que tem convicções religiosas ou políticas que o impedem de servir às Forças Armadas, pode se alistar para fazer um serviço alternativo. Nestes casos, o líder religioso, político ou filosófico deve escrever uma declaração que justifique o pedido e, junto com esta declaração, o jovem precisa entregar o requerimento de prestação de serviço alternativo.

Reportagem, Cintia Moreira