25 C
Rio de Janeiro
terça-feira, 23 de abril de 2019 9:3827
- Publicidade -

É “absurdo” aumentar contribuição previdenciária, diz Bolsonaro

- Publicidade -

O presidente eleito Jair Bolsonaro disse nesta sexta-feira que seria “um absurdo” aumentar a contribuição previdenciária e voltou a afirmar que quer a reforma da Previdência, ao mesmo tempo que disse que há pouco que pode ser aproveitado de projetos sobre o assunto que já tramitam no Congresso.

Em uma transmissão ao vivo pelo Facebook, Bolsonaro disse que tem conversado com o economista Paulo Guedes, futuro superministro da Economia, sobre o tema e afirmou ter recebido projetos sobre a reforma da Previdência durante sua visita a Brasília nesta semana.

- Advertisement -

“A questão da reforma da Previdência –está no jornal O Globo de hoje– botando na minha conta a possibilidade de passar de 11 para 22 por cento a contribuição previdenciária”, disse Bolsonaro.

“O que eu recebi em Brasília foram projetos, ou de iniciativa do Executivo, ou de iniciativa de parlamentares para estudar. O que a gente pode aproveitar ali para o ano que vem, e pelo que eu estou vendo, pouca coisa pode ser aproveitada”, acrescentou ele.

O presidente eleito classificou de “absurda” a ideia de elevar a contribuição previdenciária.

“Passar de 11 para 22 por cento o desconto previdenciário, isso é um absurdo! É melhor o trabalhador ficar com aquilo que ele é obrigado a dar para o Estado e deixar o líquido para o Estado, é melhor fazer isso aí. Não podemos falar em salvar o Brasil quebrando o trabalhador”, garantiu.

Diante da impossibilidade de aprovar mudanças constitucionais, como a da reforma da Previdência proposta pelo governo do presidente Michel Temer, por conta da intervenção federal na segurança pública do Rio de Janeiro, uma das possibilidades aventadas foi a de realizar mudanças na Previdência que não necessitassem de alterações constitucionais, caso do percentual de contribuição previdenciária.

Bolsonaro afirmou ainda que uma decisão final sobre o reajuste dos salários dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), aprovado pelo Senado na quarta-feira, não cabe a ele, mas sim ao presidente Temer, que deverá decidir se veta ou sanciona a medida.

“Não sou o presidente da República. Estão botando na minha conta o reajuste do Judiciário, como se tivesse poderes para impedir. Eu dei minha opinião, que era inoportuno aquilo no momento, mas a decisão não é minha, a decisão agora está nas mãos do presidente Michel Temer, se vai aprovar ou se vai vetar”, disse.

O presidente eleito também fez a avaliação de que a situação orçamentária do Brasil está chegando no limite e classificou que o Brasil “tem direito para tudo, só não tem emprego”. Ele ressalvou, entretanto, que os direitos trabalhistas estão assegurados na Constituição.

Bolsonaro afirmou que Guedes e o futuro ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, receberão “carta branca” dele para trabalharem e adiantou que os futuros titulares das pastas de Educação, Meio Ambiente, Saúde e Relações Exteriores podem ser anunciados na próxima semana, quando ele retornará a Brasília.

(Por Laís Martins e Eduardo Simões, em São Paulo)

Últimas Notícias

Confira a provável escalação do Vasco da Gama contra o Santos

Marcos Valadares agradece por chance no profissional e pede pelo apoio da torcida

Sonho do Vasco da Gama, Jorge Jesus recebeu 8 milhões de euros em seu último trabalho

O clube de São Januário ainda não formalizou uma proposta oficial mas pretende apresentar um projeto ao ex-treinador de Benfica e Sporting

Vasco da Gama quer o português Jorge Jesus como seu novo técnico

Nesta terça-feira, 23, Alexandre Faria conversou por alguns minutos por telefone com o treinador e iniciou os contatos para tentar contratá-lo.

The Noite recebe Marcelo Tas e jurados do “Batalha Makers”

Sobre os novos desafios de sua carreira, Marcelo Tas comenta sua estreia como apresentador do programa “Provocações”, na TV Cultura

‘Atentado ao Hotel Taj Mahal’ traz debate sobre intolerância religiosa

Baseado em história real, o longa conta com elenco majoritariamente indiano, incluindo o ator e diretor de Bollywood Anupam Kher

Vasco da Gama descarta Jair Ventura e Luxemburgo e busca inovação

O clube não descarta investir em um técnico estrangeiro e mapeia o mercado Sul-americano em busca de opções.

Garis do Rio de Janeiro suspendem greve

Categoria retoma atividades nesta terça-feira

Governo está negociando pontos da reforma na CCJ, diz líder

Para Joice Hasselmann, "espinha dorsal" da proposta deve ser mantida

Vasco da Gama se aproxima de Jair Ventura; Negociação envolve reforços de Carlos Leite

Empresário participa da negociação e pode trazer jogadores para o clube disputar o Brasileirão