25 C
Rio de Janeiro
segunda-feira, outubro 19, 2020
- Publicidade -

Ministro declara válida comissão de impeachment de Wilson Witzel

- Publicidade -
- Publicidade -

Ministro declara válida comissão de impeachment de Wilson Witzel

- Publicidade -

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), julgou improcedente a Reclamação (RCL) 42358, em que o governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, questionava ato do presidente da Assembleia Legislativa do estado (Alerj) que instituiu a comissão especial formada para examinar seu processo de impeachment. Foi rejeitada a alegação de Witzel de que teria havido irregularidades na formação da comissão por não ter sido observada a regra da proporcionalidade partidária, tendo em vista que cada partido teve o direito de indicar um integrante, independentemente do tamanho da bancada. O ministro também rejeitou o argumento de que a comissão especial foi instituída por simples indicação dos líderes partidários, sem posterior votação, ainda que simbólica.

De acordo com o relator, o artigo 19 da Lei do Impeachment (Lei 1.079/1950) dispõe que a comissão especial conte com representantes de todos os partidos. Segundo ele, o dispositivo deve ser interpretado em consonância com o artigo 58 da Constituição Federal, que delega ao Poder Legislativo, por meio de seu regimento interno ou por ato específico, a constituição de suas comissões, assegurando, tanto quanto possível, a representação proporcional dos partidos ou dos blocos parlamentares. “Não me parece que o ato do presidente da Assembleia Legislativa tenha desrespeitado o texto constitucional ou mesmo a legislação federal4, pois refletiu o consenso da Casa Parlamentar ao determinar que cada um dos partidos políticos, por meio de sua respectiva liderança, indicasse um representante, garantindo ampla participação da ‘maioria’ e da ‘minoria’ na Comissão Especial”, afirmou o ministro. Segundo ele, não houve irresignação por parte de nenhum dos partidos políticos representados na Alerj.

- Publicidade -

Legítima opção política

Em sua decisão, o ministro salientou ainda que, em respeito ao princípio da separação dos Poderes, o Judiciário não deve ter ingerência sobre escolhas eminentemente políticas, como no caso, por se tratar de “legítima opção política” realizada pela Assembleia Legislativa estadual. Com a decisão do ministro Alexandre de Moraes, está mantida a plena validade do artigo 1º do Ato 41/2020, editado pelo presidente da Alerj, e a regularidade da composição da comissão especial formada. A decisão de hoje (28) revoga a medida liminar concedida durante plantão do STF nas férias coletivas dos ministros no último mês de julho para determinar à Alerj a formação de nova comissão especial, observando a proporcionalidade de representação dos partidos políticos e blocos parlamentares.

Leia a íntegra da decisão

VP/AS//CF

Leia mais:

27/7/2020 – Comissão do impeachment de Witzel deve ser eleita e proporcional aos partidos ou blocos da Alerj

Veja a reportagem da TV Justiça:

Boletim Carioca

Assine nossa Newsletter e receba as últimas notícias e ofertas de nossos parceiros em seu email

Veja Também

Últimas Notícias

Vasco da Gama: Ricardo Sá Pinto comanda primeiro treino em São Januário

Outra novidade no treinamento cruzmaltino em São Januário foi a presença do meio-campista Leonardo Gil.

Covid cai para níveis de maio no Brasil, mas OMS alerta mundo para “segunda onda”

As informações consolidadas da semana que se encerrou no último dia 17,...

Bolsonaro se mantém contra valor de R $ 600 para o auxílio: “É muito para o Brasil”

Em novas manifestações sobre a demanda para se estender o auxílio emergencial de...

HBO divulga trailer da segunda temporada de ‘His Dark Materials’ que estreia em novembro

A HBO apresenta o trailer da segunda temporada de HIS DARK MATERIALS, que estreia no dia 6 de novembro na HBO e na HBO GO e acompanha a...

TV Cultura leva ao ar o especial Poesia na Quarentena

Sem palcos e plateia, a produção artística teve que se reinventar na pandemia. O especial Poesia na Quarentena vem para relatar o...

Morre no Rio, aos 104 anos, o policial mais antigo da Polícia Militar

Morreu em Petrópolis, região serrana do Rio de Janeiro, neste domingo (18), aos 104 anos, o tenente-coronel João Freire Jucá Sobrinho, da Polícia Militar do antigo estado da Guanabara, quando o Rio ainda era capital da República. Ele era o policial mais antigo da instituição.

OSB dá continuidade à temporada virtual com mais um concerto da Série Clássica Brasileira, dia 22 de outubro

Programa tem obra inédita do brasileiro Antônio Ribeiro, além de peças de Jeremiah Clarke, Joseph Haydn, Heitor Villa-Lobos e Chiquinha Gonzaga

Quadras das escolas de samba do Rio de Janeiro podem voltar a funcionar esta semana.

Após conseguir a liberação das rodas de samba junto à Prefeitura, o vereador Felipe Michel, ex-secretário de Eventos, intercedeu pelas escolas de samba, que estarão liberadas para funcionar já esta semana. O decreto deve ser publicado no Diário Oficial desta terça-feira, 20.

Polícia Civil prende acusado de estupro na Universidade Federal Rural

As investigações iniciaram após o registro da ocorrência. A equipe da 48ª DP realizou diligências para identificar e encontrar o suspeito.
- Publicidade -