24.3 C
Rio de Janeiro
quarta-feira, setembro 30, 2020
- Publicidade -

Lei do Tocantins que estabelece teto remuneratório para o Judiciário é alvo de nova ADI

- Publicidade -
- Publicidade -

A Federação das Entidades Sindicais de Oficiais de Justiça do Brasil (Fesojus) ajuizou Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI 6463) no Supremo Tribunal Federal (STF) para questionar dispositivo de lei do Estado do Tocantins que impõe teto salarial aos integrantes das carreiras do Poder Judiciário estadual. Segundo a entidade, ao limitar a remuneração dos servidores a 90,25% do subsídio de juízes de direito substitutos, a lei violaria o artigo 37, inciso XIII, parágrafo 12 da Constituição Federal.

Segundo a entidade, embora não se trate de equiparação, é incontroverso que se cuida de vinculação, em flagrante contrariedade à disciplina constitucional de proibição de vinculação remuneratória e subteto legal.

O artigo 14 da Lei estadual 2.409/2010, alterada pela Lei 3.298/2017, também é questionado pelo Partido Democrático Trabalhista (PDT) na ADI 6455. Por isso, a ação da Fesojus foi distribuída, por prevenção, ao ministro Celso de Mello. A entidade pede liminar para suspender os efeitos do dispositivo questionado até o julgamento do mérito da ADI.

VP/AS//CF

- Publicidade -

Leia Mais:

16/6/2020 – PDT questiona lei do Tocantins que estabelece teto salarial de servidores do Judiciário
 

Boletim Carioca

Assine nossa Newsletter e receba as últimas notícias e ofertas de nossos parceiros em seu email

Veja Também

Últimas Notícias

Câmara aprova lei que cria Pólo Gastronômico e Cultural da Praça Seca

Segundo o texto, serão permitidas a instalação de barracas no entorno da praça, com o objetivo de incentivar o desenvolvimento cultural, e também a utilização do Coreto da Praça Seca, a fim de promover a arte e a cultura local.

Futebol: Senado aprova suspensão de pagamento de dívidas dos clubes

Com 72 votos a favor e um contrário, o projeto que suspende o pagamento das parcelas de dívidas no âmbito do Programa de Modernização da Gestão e de Responsabilidade Fiscal do Futebol Brasileiro (Profut) durante a pandemia de covid-19 foi aprovado pelo Senado nesta terça-feira (29). Como sofreu modificações, o texto retorna para a Câmara dos Deputados.
- Publicidade -