21 C
Rio de Janeiro
sexta-feira, outubro 23, 2020
- Publicidade -

Avancini assume liderança do ranking mundial de mountain bike

- Publicidade -
- Publicidade -

O topo do ranking mundial do mountain bike – uma das categorias olímpicas do ciclismo – é de um brasileiro pela primeira vez. Henrique Avancini assumiu o primeiro lugar do cross country olímpico (XCO) na classificação da União Ciclística Internacional (UCI), deixando para trás o suíço Nino Schurter, medalhista de ouro na Olimpíada Rio 2016. 

“Durante anos me perguntei se realmente buscar alguma coisa com tanto afinco valeria a pena. Se insistir em não querer ser só mais um me levaria à algum lugar. Quis chegar ao topo, do meu jeito, acreditando nos meus princípios. Não importa onde, qual ou quando for a corrida, eu vou largar para brigar pela vitória”, celebrou o brasileiro, em postagem no Instagram.

A regularidade de Avancini explica a subida no ranking. De julho de 2019 para cá, ele pontuou em 24 provas, contra 18 de Schurter. Há uma semana, o atleta fluminense de 31 anos venceu a segunda etapa da Copa do Mundo de mountain bike, realizada em Nové Mesto (República Tcheca). No último sábado (10), em Leogang (Áustria), o brasileiro terminou o Mundial da modalidade na 10ª posição.

- Publicidade -

Henrique Avancini

Henrique Avancini, de 31 anos, venceu a segunda etapa da Copa do Mundo de mountain bike, realizada em Nové Mesto (República Tcheca).- Bartek Wolinski/Red Bull Content Pool/Direitos Reservados

- Publicidade -

O posicionamento no ranking é fundamental para as pretensões de Avancini de competir na Olimpíada de Tóquio (Japão), no ano que vem. O Brasil é o quarto colocado do ranking de nações na UCI, com direito a duas vagas nos Jogos, e só perderá uma delas se cair para oitavo. O país ficará fora dos Jogos apenas se ficar abaixo da 30ª posição. Avancini, portanto, está praticamente garantido nos Jogos.

Dois ciclistas disputam a outra vaga brasileira: Luiz Henrique Cocuzzi (que subiu um degrau e é o 51º do mundo) e Guilherme Muller (que ascendeu quatro lugares e está em 56º). No Mundial, Muller ficou em 33º e Cocuzzi em 36º. Em 2016, Avancini e Rubens Donizete representaram o país no XCO, com o primeiro terminando a prova em 23º e o segundo em 30º lugar.

No XCO feminino, a brasileira mais bem colocada é Raiza Goulão, que subiu cinco posições na lista da UCI e ocupa o 48º lugar. Como o Brasil é o 19º do ranking de nações, tem direito, atualmente, a uma vaga olímpica para as mulheres. No Mundial, Raiza chegou em 45º, quatro postos à frente da outra representante do país, Letícia Soares, 80ª do mundo.

Boletim Carioca

Assine nossa Newsletter e receba as últimas notícias e ofertas de nossos parceiros em seu email

Veja Também

Últimas Notícias

Copa do Brasil Sub-20: Goiás bate o Flamengo e fica em vantagem por vaga

Além do triunfo por 1 a 0 do Esmeraldino em Saquarema (RJ), Moto Club e Vasco empatam em 2...

Butantan acusa Anvisa de atrasar vacina; Pazuello diz que vai obedecer Bolsonaro

A crise criada pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) em torno da...

Flamengo encontra estabilidade em momento chave da temporada

Após chegada conturbada do técnico Domenec Torrent, rubro negro retorna ao bom futebol e à disputa da ponta do Brasileirão
- Publicidade -