25 C
Rio de Janeiro
segunda-feira, outubro 19, 2020
- Publicidade -

Covid-19: mais da metade de pequenos negócios retomou atividades

- Publicidade -
- Publicidade -

Uma nova pesquisa da startup SumUp, instituição financeira com foco nos pequenos negócios, mostra que 57% do setor já retomaram plenamente suas atividades no país.

A quarta rodada do estudo foi realizada entre 21 e 24 de julho, com 4.149 clientes da empresa, que é uma das principais fornecedoras de maquininha de cartão para micro e pequenos empreendedores no Brasil. Em levantamento anterior, em maio, o número de negócios funcionando estava em 37%.

- Publicidade -

Dentre os ramos que retomaram às atividades no último mês, estão serviços de limpeza, especialmente lavagem automotiva (lava-jatos), com 80% de funcionamento; os de marcenaria, com 58% de retomada; e os de manutenção e reparos, com 55% dos negócios já funcionando normalmente. Mais da metade (53%) de serviços de saúde, como consultórios médicos, dentistas, psicólogos e veterinários também voltou a funcionar normalmente, segundo a SumUp.

Dono de um lava-jato em Cachoeira da Prata (MG), Darlan Fernandes conta que seu negócio ficou fechado por 15 dias, no início da pandemia, por exigência de um decreto municipal, mas voltou a funcionar em seguida, com horário reduzido. 

- Publicidade -

“O movimento, por enquanto, não voltou ao normal, inclusive acho que vai piorar novamente, porque foi confirmado hoje a primeira morte pelo novo coronavírus aqui na cidade”, afirmou Darlan. Ele calcula que mantém atualmente 60% do movimento que tinha antes da crise sanitária. 

Setor de eventos sofre na pandemia

Na outra ponta da tabela, estão os serviços que seguem praticamente parados desde o início da pandemia no país. É o caso do setor de eventos, com apenas 7% dos declarantes afirmando que retomaram as atividades. 

No caso do serviços de educação, somente 18% da base de clientes da SumUp informam terem retomado. Atividades na área de fotografia (26%) e serviços esportivos (29%) também registraram um retorno ainda tímido das atividades.  

A cabeleireira Claudineia Augusto dos Santos, de Itanhaém (SP), na Baixada Santista, ficou mais de quatro meses parada, mas começou a retomar, aos poucos, as atividades a partir de julho, atendendo à clientela em casa, com horário marcado e todo um protocolo de higienização. “Calculo que reiniciei 50% do movimento anterior, comecei a sentir o pessoal querendo voltar a fazer o serviço somente em agosto”, relata. 

Claudineia faz parte do grupo de risco para a covid-19, já que teve câncer de mama. Mesmo assim, afirma, não teve como prosseguir sem trabalhar depois de tanto tempo parada. “Voltei por causa da condição financeira, né? É complicado, a gente precisa trabalhar porque não tem de onde tirar.”

Beneficiária de uma pensão previdenciária, ela não recorreu ao auxílio emergencial. Darlan Fernandes também disse não ter solicitado o auxílio para enfrentar o período de pandemia. “Não recorri porque acho que há pessoas que precisam mais do que eu, e também porque eu tinha uma reserva guardada para emergência”, explicou.

Auxílio emergencial

Segundo o levantamento da SumUp, cerca de 46% dos empreendimentos que fecharam por pouco tempo ou mantiveram seu funcionamento não precisaram recorrer ao auxílio emergencial. 

Já entre os que fecharam o negócio permanentemente, 64% solicitaram o auxílio emergencial de R$ 600, embora nem todos (14%) tenham tido o benefício aprovado.

Entre os negócios fechados ou parcialmente abertos com ponto de venda fechado, a venda online é o investimento prioritário no futuro, com 46% dos respondentes apontando nessa direção. Já entre os negócios funcionando normalmente, a prioridade, de acordo com a pesquisa, é diversificar e aumentar estoque e a produção (58%).

Boletim Carioca

Assine nossa Newsletter e receba as últimas notícias e ofertas de nossos parceiros em seu email

Veja Também

Últimas Notícias

Vasco da Gama: Ricardo Sá Pinto comanda primeiro treino em São Januário

Outra novidade no treinamento cruzmaltino em São Januário foi a presença do meio-campista Leonardo Gil.

Covid cai para níveis de maio no Brasil, mas OMS alerta mundo para “segunda onda”

As informações consolidadas da semana que se encerrou no último dia 17,...

Bolsonaro se mantém contra valor de R $ 600 para o auxílio: “É muito para o Brasil”

Em novas manifestações sobre a demanda para se estender o auxílio emergencial de...

HBO divulga trailer da segunda temporada de ‘His Dark Materials’ que estreia em novembro

A HBO apresenta o trailer da segunda temporada de HIS DARK MATERIALS, que estreia no dia 6 de novembro na HBO e na HBO GO e acompanha a...

TV Cultura leva ao ar o especial Poesia na Quarentena

Sem palcos e plateia, a produção artística teve que se reinventar na pandemia. O especial Poesia na Quarentena vem para relatar o...

Morre no Rio, aos 104 anos, o policial mais antigo da Polícia Militar

Morreu em Petrópolis, região serrana do Rio de Janeiro, neste domingo (18), aos 104 anos, o tenente-coronel João Freire Jucá Sobrinho, da Polícia Militar do antigo estado da Guanabara, quando o Rio ainda era capital da República. Ele era o policial mais antigo da instituição.

OSB dá continuidade à temporada virtual com mais um concerto da Série Clássica Brasileira, dia 22 de outubro

Programa tem obra inédita do brasileiro Antônio Ribeiro, além de peças de Jeremiah Clarke, Joseph Haydn, Heitor Villa-Lobos e Chiquinha Gonzaga

Quadras das escolas de samba do Rio de Janeiro podem voltar a funcionar esta semana.

Após conseguir a liberação das rodas de samba junto à Prefeitura, o vereador Felipe Michel, ex-secretário de Eventos, intercedeu pelas escolas de samba, que estarão liberadas para funcionar já esta semana. O decreto deve ser publicado no Diário Oficial desta terça-feira, 20.

Polícia Civil prende acusado de estupro na Universidade Federal Rural

As investigações iniciaram após o registro da ocorrência. A equipe da 48ª DP realizou diligências para identificar e encontrar o suspeito.
- Publicidade -