27.5 C
Rio de Janeiro
segunda-feira, outubro 19, 2020
- Publicidade -

PE: Volta às aulas coloca em risco mais de 1,5 milhão de pessoas, alerta especialista

- Publicidade -
- Publicidade -

O governo de Pernambuco anunciou o retorno das atividades escolares para amanhã, 6 de outubro, tanto para escolas da rede privada quanto para a rede pública. Inicialmente, apenas para os alunos do terceiro ano do ensino médio. Em resposta à decisão, trabalhadores da educação no estado decretaram greve na última quarta-feira (30). Segundo o Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Pernambuco (Sintepe), não há condições sanitárias para esse retorno.

O Brasil de Fato Pernambuco entrevistou Paulo Rubem Santiago, professor Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), mestre em educação, ex-deputado federal e ex-presidente da antiga Associação dos Profissionais do Ensino Oficial de Pernambuco, (Apenope), sobre a questão. Confira os principais trechos:

- Publicidade -

BdF PE: Como você avalia esse processo de retorno às aulas presenciais em Pernambuco?

Paulo Rubem Santiago: É sempre bom lembrarmos que as escolas não estão disponíveis, nem dissociadas das suas melhores comunidades e territórios, seja na área urbana ou rural. Sobretudo nas periferias das cidades, nos morros, nos alagados, as crianças e jovens dessas escolas têm origem em famílias com condições muito específicas de renda e de acessibilidade a serviços públicos fundamentais. Todas essas questões precisam ser levadas em consideração quando se pensa na retomada do calendário escolar.

- Publicidade -

Imaginar que podemos montar um calendário escolar e passar a receber altos de alunos, se deslocando de suas casas – muitos deles dependentes de transporte coletivo ou mais de um meio de transporte – é expor as crianças ao risco de contaminação e ao mesmo tempo correr o risco de trazer o vírus para os seus familiares. E sobretudo aos servidores das escolas, porque a maioria não tem carro e depende do transporte coletivo. Quando juntamos tudo isso, é evidente que é uma irresponsabilidade brutal do governo de Pernambuco anunciar a autorização repentina da circulação de jovens, professores e servidores, apostando em uma queda e em um processo lento de decréscimo dos casos de contaminação e óbitos.

Então como você acha que deveria ser o procedimento para essa retomada?

Em primeiro lugar, se render às evidências científicas. Enquanto os principais sanitaristas, epidemiologistas e infectologistas estão alertando que ainda não é seguro voltar a liberar os grandes fluxos de movimento de pessoas, não é prudente autorizar a retomada das aulas. Sobretudo, porque nas diversas comunidades mais pobres persiste o racionamento de água, falta de infraestrutura e a insalubridade. As famílias não têm renda para costume comprar o álcool 30 e os demais materiais de higiene pessoal.

Sem um protocolo rigoroso e sem a palavra final das autoridades sanitárias que não estão no governo, é uma irresponsabilidade o retorno às aulas. Pode acontecer, como já vem acontecendo em diversos países europeus, como no Amazonas e em outras cidades, um retorno ao pico de contaminação e casos de óbitos. Alguns lugares estão voltando inclusive a praticar uma quarentena rigorosa e o lockdown. É irresponsabilidade pensar que só Pernambuco pode estar livre de um retorno de contaminação.

Você acredita que é possível pensarmos em um protocolo nacional de retomada?

Não. Não porque acredito as realidades são distintas. Em Recife, temos uma boa parte da população em zonas precárias, onde o que prevalece é o racionamento rigoroso de água, insalubridade e precariedade dos serviços de saneamento. Já foram encontrados os coronavírus em redes coletoras de esgotos de várias cidades grandes do país. É um risco profundamente irresponsável querer ter um protocolo único, porque as cidades não são iguais.

Pensando nessa educação à distância, qual seria o impacto de mais tempo dessa modalidade de educação?

Nós vamos ter que desenvolver uma série de iniciativas cautelosas. Da mesma forma que não há igualdade do ponto de vista da salubridade das comunidades, há famílias e casas sem as condições mínimas de se fazer um processo de educação à distância rigoroso, amplo e de qualidade.

Uma coisa é uma família de classe média com dois ou três filhos, cada qual num quarto, com sinal de internet de boa qualidade, com seu notebook e com fone de ouvido. Outra coisa é uma comunidade periférica, pobre, como são vários bairros do Recife, em que se encontra residências que não possuem nem um sinal de internet. Há uma disparidade muito grande, que é reflexo da desigualdade brutal imposta pelo sistema capitalista no Brasil.

A medida mais acertada é desenvolver um programa de cobertura universal, mas sabendo-se que não é possível implantar um programa assim sem subsídio do Governo do Estado. Sem isso, é um padrão de qualidade de acesso para as classes médias e outra para outra parcela da população.

E você acredita que essa volta está condicionada à vacina?

Seria a medida mais cautelosa e que poderia garantir a segurança sanitária para a comunidade escolar, dados as expectativas de uma ampla cobertura das vacinas que estão em teste. Se há uma expectativa de que antes do retorno das aulas no calendário oficial de março do ano que vem ou de fevereiro de um programa amplo de vacinação em massa, é mais prudente e mais adaptado à realidade da pandemia aguardar esse processo e só retornar o calendário escolar após um ano do processo de imunização, é o que se recomenda.

Mesmo os jovens que estão estudando à distância, como escolas têm relatado uma série de problemas: como a dificuldade de concentração, a dispersão no entorno familiar, o uso concomitante do celular ao lado do computador e a ausência dos jovens durante a aula. Mesmo esses não estão tendo uma educação com qualidade adequada, é uma grande improvisação. É um fazer de conta que cumpriu o calendário escolar nas condições. Por isso, é preferível que se veja, lamentavelmente, a perda do semestre e se retome o processo de educação formal, do que colocar em risco mais de 1,5 milhão de pessoas.

Fonte: BdF Pernambuco

Edição: Vanessa Gonzaga


Boletim Carioca

Assine nossa Newsletter e receba as últimas notícias e ofertas de nossos parceiros em seu email

Veja Também

Quadras das escolas de samba do Rio de Janeiro podem voltar a funcionar esta semana.

Após conseguir a liberação das rodas de samba junto à Prefeitura, o vereador Felipe Michel, ex-secretário de Eventos, intercedeu pelas escolas de samba, que estarão liberadas para funcionar já esta semana. O decreto deve ser publicado no Diário Oficial desta terça-feira, 20.

Últimas Notícias

“Musicar – Festival de Música Infantil” tem podcast com Marcia Kambeba, show com Cris Barulins e diversas oficinas e vivências na próxima semana

O Centro Cultural Banco do Brasil apresenta edição on-line do projeto Musicar. Serão mais de 50 atrações em seis semanas de programação, incluindo shows, oficinas, vivências, podcasts e webinars.

OSB dá continuidade à temporada virtual com mais um concerto da Série Clássica Brasileira, dia 22 de outubro

Programa tem obra inédita do brasileiro Antônio Ribeiro, além de peças de Jeremiah Clarke, Joseph Haydn, Heitor Villa-Lobos e Chiquinha Gonzaga

Quadras das escolas de samba do Rio de Janeiro podem voltar a funcionar esta semana.

Após conseguir a liberação das rodas de samba junto à Prefeitura, o vereador Felipe Michel, ex-secretário de Eventos, intercedeu pelas escolas de samba, que estarão liberadas para funcionar já esta semana. O decreto deve ser publicado no Diário Oficial desta terça-feira, 20.

Polícia Civil prende acusado de estupro na Universidade Federal Rural

As investigações iniciaram após o registro da ocorrência. A equipe da 48ª DP realizou diligências para identificar e encontrar o suspeito.

Exposição Tobias Marcier estreia na Galeria Evandro Carneiro, na Gávea

A Galeria Evandro Carneiro Arte, na Gávea, de 24 de outubro a 28 de novembro a Exposição Tobias Marcier na coleção Maria Helena e Ney Mendes de Moraes. A curadoria é de Evandro Carneiro. Em destaque as obras Guerreiros e Estivadores.

Promotoria Eleitoral do Rio de Janeiro pede a inelegibilidade do prefeito de Petrópolis

O prefeito de Petrópolis e candidato à reeleição, Bernardo Rossi (PL), e...

Artigo | Acampamento Nova Esperança ocupa área abandona há 12 anos

Vivem me pedindo dica do que ver na Netflix. Aqui, vai...

Diogo Nogueira volta aos palcos com o show “Pra Todo Mundo Sambar” no VIVO Rio

Com a banda completa, vai apresentar seus sucessos, o single “Princípio, Meio e Fim” recém-lançado e músicas novas que estarão no DVD “Samba de Verão”, que planeja gravar até o fim do ano.

Quadras das escolas de samba do Rio de Janeiro podem voltar a funcionar esta semana.

Após conseguir a liberação das rodas de samba junto à Prefeitura, o vereador Felipe Michel, ex-secretário de Eventos, intercedeu pelas escolas de samba, que estarão liberadas para funcionar já esta semana. O decreto deve ser publicado no Diário Oficial desta terça-feira, 20.

Alerj vota veto a projeto sobre venda de armas a agentes da Segurança Pública

A inclusão na pauta foi uma resposta do presidente, André Ceciliano (PT), ao pedido feito pelo deputado Bruno Dauaire (PSC) na sessão plenária da última terça-feira (13). Este será o único veto a ser analisado pelos parlamentares na semana.

Teatro Riachuelo reabre celebrando a Música Popular

Com a retomada da cultura na cidade, com teatros, cinemas e museus reabrindo com público reduzido, o Teatro Riachuelo anuncia as primeiras atrações que subirão em seu palco nos próximos dias.

Festival carioca “Ilumina Zona Oeste” realiza sua 4º edição de 06 a 08 de novembro e pela primeira vez de forma virtual

Dentre seus bairros, a Zona Oeste, é a região mais populosa do Rio, e recebe do dia 06 a 08 de novembro de 2020 a quarta edição do ’Festival Ilumina Zona Oeste’, evento que promove a visibilidade das iniciativas culturais e sociais com a realização de oficinas, debates e apresentações artísticas
- Publicidade -