23 C
Rio de Janeiro
quinta-feira, outubro 22, 2020
- Publicidade -

Emenda de Janaína Paschoal favorece aprovação de PL que fecha empresas públicas de SP

- Publicidade -
- Publicidade -

Após dois dias de debate na Assembleia Legislativa , o projeto de lei 529 / 2020 do governador João Doria (PSDB), que prevê uma extinção de 10 instituições públicas, pode ser aprovado nesta quarta-feira (30), a partir de das 19 horas, em novas transações extraordinárias convocadas pelo presidente da casa, o deputado tucano Cauê Macris.

Nos bastidores, a considerações que um novo elemento pode favorecer a aprovação do projeto. É a proposta da deputada Janaína Paschoal (PSL) por uma emenda aglutinativa, que exclui da proposta quatro das dez instituições públicas estaduais condenadas ao fechamento, entre elas a Fundação Instituto de Terras do Estado de São Paulo (Itesp), responsável pela regularização fundiária e pela implementação da política agrária no Estado.

- Publicidade -

Completam a lista da parlamentar, da Fundação Oncocentro de São Paulo ( FOSP), uma Fundação para o Remédio Popular (FURP) e a Superintendência de Controle de Endemias (SUCEN).

O líder da bancada do PT, Teonilio Barba, classificou como “pelega” a proposta e que sinaliza que, para a bancada petista “não há instituição descartável”.

- Publicidade -

“A emenda aglutinativa de Janaina só tira 4 empresas fora, uma delas é o Itesp. Infelizmente isso é aprovar 69% do projeto do governo, então eu não assinarei porque eu sou contra o projeto inteiro. A nossa bancada não assinará, a nomeação não assinará. Assinar a emenda da Janaína é pelego ”, opina.

Barba chegou a apresentar ao presidente da Alesp uma questão de ordem sobre a constitucionalidade do PL 259. Ele questiona também que o PL 259 não se adequa ao artigo 18 da Lei de Responsabilidade Fiscal, pois não menciona nada sobre o impacto orçamentário-financeiro gerado pela “renúncia de receita” proposta nas 69 páginas.

Sem precedentes

Enviado à Alesp por Doria em agosto, o PL 529 é contestado no Plenário pela opinião. O motivo é a amplitude do desmonte , que ataca políticas públicas nas áreas de saúde , habitação, transportes, educação, meio ambiente e ciência. A justificativa do governo é a pandemia, e um suposto rombo de cerca de R $ 10 bilhões no caixa de São Paulo.

Na história do poder legislativo paulista, a tramitação do projeto é algo sem precedentes, com 529 emendas sugeridas pelos deputados e todas vetadas pelo relator Alex de Madureira, do PSD, incluindo dez feita pelo próprio relator.

“Cada um destes pontos, da reforma tributária, da reforma administrativa, de cada uma das empresas nesta lista, precisaria de um tempo para a gente estudar qual o impacto disso na ponta, para não deixar uma população desassistida. É inaceitável que isto está tudo junto em um único projeto de 69 páginas ”, questiona Mônica Seixas, da Bancada Ativista do PSOL.

A proposta, que deveria passar por três comissões permanentes para ser discutida e estudada, foi encaminhada para um estabelecimento de um relator especial pelo presidente da casa.

“Nosso regimento é de 1969 com bilhar desde então. Relator especial é uma figura antidemocrática que substitui os votos das comissões. Então quando o governo está com dificuldades de tramitar um projeto em uma comissão, põe um relator especial que o presidente escolhe. O Cauê escolhido um único parlamentar que votou por toda a casa nas comissões ”, analisa Seixas.

Edição: Leandro Melito


Boletim Carioca

Assine nossa Newsletter e receba as últimas notícias e ofertas de nossos parceiros em seu email

Veja Também

Últimas Notícias

Pelé 80 anos: TV Cultura exibe programação especial em homenagem ao rei

Nesta semana, um dos grandes ícones do futebol brasileiro completa 80 anos: Edson Arantes do Nascimento, mais conhecido como Pelé. Considerado...

Figueirense vence o CRB e deixa a zona de rebaixamento da Série B

Também nesta quarta-feira, Cuiabá e Paraná protagonizaram um eletrizante 3 a 3, enquanto o Confiança venceu o Sampaio Corrêa...

CNN transmite o último debate entre Trump e Biden

Nesta quinta-feira, dia 22, a CNN transmite, a partir das 21h, o último debate entre atual presidente Donald Trump, que concorre à...
- Publicidade -