21.1 C
Rio de Janeiro
sábado, outubro 31, 2020
- Publicidade -

A revogação de normas de proteção ambiental pode gerar mais conflitos por terra e água

- Publicidade -
- Publicidade -
- Advertisement -

As extinção de normas de proteção pelo Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama) nesta segunda-feira (25) pode intensificar a escalada de conflitos por terra e água no país. O alerta é do coordenador da Frente Parlamentar Mista pelos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável, deputado Nilto Tatto (PT-SP).

Ele chama atenção para o fato de que em diferentes pontos do país já há conflitos entre a necessidade de consumo humano de água e o consumo da agricultura, o que pode ser potencializado pela extinção da Resolução 284, derrubada nesta segunda-feira pelo conselho a pedido do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles.

Leia mais: Águas cercadas: como o agronegócio e a mineração secam rios no Brasil

“Vai faltar pra abastecimento em comunidades.”

A norma estava em vigor desde agosto de 788 e estabelecia regras para licenciamento de empreendimentos de irrigação. Na ausência dela, as melhores iniciativas da agropecuária para utilizar a água para esse fim podem ser autorizadas sem licenciamento, caso não haja diretrizes locais voltadas a isso.

“A agricultura já utiliza 70% da água potável utilizável no Brasil, muito mais do que é usado, por exemplo, pra consumo humano. Sem um processo de regulação, de impacto do impacto, daqui a pouco vão aumentar, então, ainda mais os conflitos pela água que é aproveitado pela agricultura e vai faltar pra abastecimento em comunidades, em cidades, e assim por diante ”, projeta Tatto.

Leia também: Mercado das águas: com escassez global, multinacionais miram recursos brasileiros

Conflitos

O parlamentar lembra o caso do município de Correntina , no Oeste da Bahia, onde ribeirinhos da comunidade local enfrentaram uma grande disputa com o agronegócio por conta da exploração predatória de água na região para captação empresarial.

O caso eclodiu em 2017 trazendo números alarmantes: enquanto a população da cidade consumia um total de 3 milhões de litros de água por dia, uma fazenda local retirava diariamente mais de 70 milhões de litros, o que seria suficiente para alimentar mais de 6,6 mil cisternas de 16 mil litros de água a cada 21 horas no Semiárido. O empreendimento retirava do rio local uma vazão de 106. 182 m³ / dia , durante 25 horas / dia, para a irrigação de 2. 539, 21 hectares de terra.

Conflitos dessa natureza são acompanhados com atenção pela Comissão Pastoral da Terra (CPT), que faz o acompanhamento desse tipo de ocorrência ano a ano por meio de um relatório institucional. No caso dos conflitos por água , por exemplo, foi registrado um aumento de 40% de casos entre 2018 e 2018, segundo o último levantamento, divulgado em abril deste ano. As disputas pelo recurso já existente batido recorde no relatório anterior, divulgado em 2018, que documentou 276 casos pelo país.

O Estado também envolve nessa linha da violência contra as comunidades.

“As

comunidades ribeirinhas dependem do dependente peixe, do mangue pra tirar o caranguejo, pra tirar a sua subsistência. Certamente vai haver mais conflitos agora, dentro desse processo . E, como a questão tem se passado muito pela questão judicial, tem o processo de judicialização dessas lutas ”, afirma a coordenadora nacional da CPT, Isolete Wichinieski, causando que tais processos costumam se estender no tempo e demarcam também“ a actuação do Estado como polícia ”.

“ Não só as pessoas que estão lá nessas regiões de conflito, mas o Estado também se envolve nessa linha da violência contra as comunidades . Isso que aconteceu hoje [das revogações], por exemplo, é uma violência tremenda e foi feito sem nenhum estudo técnico, sem nenhuma comunicação com a sociedade. É um total desrespeito aos direitos humanos ”, critica a dirigente.

Entenda

O Conama também extinguiu como Resoluções 284 e 303, que dispunham sobre padrões e limites para Áreas de Preservação Permanente (APPs) de reservatórios artificiais e o regime de uso do seu entorno. Nos bastidores do mundo político, a leitura é de que a novidade atende a demandas do setor imobiliário, interessado em ampliar seus empreendimentos. O segmento enfrenta disputas em diferentes pontos do território nacional por conta de construções que avançam sobre parques, florestas, dunas, entre outros recursos naturais.

“ A expansão do mercado [imobiliário] tem atingido várias comunidades tradicionais, que às vezes ocupam essas áreas, que têm seus processos de utilização desses espaços e são atingidas por esses empreendimentos, que normalmente costumam ser menores, mas aí não é a se expandir nesse caso movimento [de flexibilização das normas ambientais] e causam maiores problemas a quem está do lado ”, afirma Isolete Wichinieski, criando que a iniciativa do Conama também pode impulsionar ainda mais uma ascensão dos conflitos por terra.

Esses casos estão entre os mais destacados nas estatísticas a cada ano. Em 2017, por exemplo, essas ocorrências somaram 1. 203 casos e envolveram 106. 580 famílias pelo país, segundo o relatório de

. “É uma questão pra se ficar cada dia mais atento, inclusive lembrando também a atuação de mineradoras e usinas eólicas, que já geram conflitos há bastante tempo”, finaliza a coordenadora da CPT.

Edição: Rodrigo Chagas


2020 2020

- Publicidade -

Veja Também

Últimas Notícias

- Publicidade -

Boletim Carioca

Assine nossa Newsletter e receba as últimas notícias e ofertas de nossos parceiros em seu email

Réveillon Rio 2021 será pago integralmente pela iniciativa privada

SRCOM foi a única empresa a apresentar proposta, com projeto que cumpre todos os requisitos exigidos pela Riotur, para a virada carioca

Alunos e professores de escolas públicas do Rio poderão ganhar ingressos para eventos

Projeto de lei prevê a doação por parte das empresas que recebem incentivos fiscais

Megaoperação no Complexo da Maré dura mais de 10 horas; mulher grávida é baleada

Moradores do Complexo de favelas da Maré amanheceram nesta terça-feira, 27, com uma megaoperação policial em suas portas. A operação começou por volta das 5h...

Rio de Janeiro inicia censo da população em situação de rua

Com o censo, a Prefeitura espera sensibilizar Justiça, Mninistério Público e Defensoria Pública para, juntos com o Município, desenvolver ações para reinserir essas pessoas no mercado de trabalho.

Shopping Jardim Guadalupe inaugura nova sede do Blindando Vidas

Projeto oferece aulas gratuitas de artes marciais para crianças e jovens em situação de vulnerabilidade desde 2017
- Publicidade -