22 C
Rio de Janeiro
domingo, outubro 25, 2020
- Publicidade -

Bolívia: Dossiê reúne 11 casos de perseguição judicial contra a esquerda após o golpe

- Publicidade -
- Publicidade -

A menos de um mês das eleições presidenciais, a Bolívia foi surpreendida por uma denúncia que escancara o uso político da polícia e da justiça após o golpe de 2019.

A capitã Silvia Sandoval Peredo, da Força Especial de Luta Contra o Crime, elaborou um dossiê com 11 casos de irregularidade, manipulação e perseguição política orquestrados pelo comandante da unidade, coronel Iván Rojas, contra personagens da esquerda boliviana e ex-funcionários do governo de Evo Morales.

- Publicidade -

:: Leia também: Human Rights Watch denuncia perseguição contra apoiadores e ex-funcionários de Evo ::

Segundo o dossiê, divulgado nesta quarta-feira (23), Rojas atuava de maneira ilegal e era acobertado por fiscais nos departamentos, equivalentes a estados no Brasil. 

- Publicidade -

Em três relatórios enviados em julho e agosto a seus superiores, a capitã Sandoval Peredo detalha como Rojas cometeu crimes de corrupção, abuso e uso indevido de influência. A policial também assegura que, depois de formalizar as denúncias à corporação, passou a ser perseguida e ameaçada de morte. 

:: Leia também: Perseguição a aliados de Evo é rotina em Santa Cruz, um dos berços do golpe boliviano ::

Confira em detalhes os três casos mais importantes descritos no dossiê:

Caso Carlos Romero

Uma das denúncias aponta que Rojas ordenou a busca e apreensão na residência do ex-ministro de Governo Carlos Romero, em janeiro deste ano, sem ordem judicial e sem a presença de um procurador. Além disso, o coronel teria ordenado a detenção da advogada de Romero, Mónica Ramírez, sem respeito ao devido processo legal. 



Romero ficou preso por seis meses, sem passar por julgamento. A defesa dele conseguiu o direito de liberdade provisória em junho deste ano. 

Policiais de nível hierárquico inferior chegaram a elaborar relatórios, informando superiores sobre o procedimento. Em seguida, foram transferidos da capital La Paz para outra unidade, no departamento de Pando, norte do país.

Caso Embaixada México 

Rojas foi o comandante da operação que resultou na detenção de Félix Cesar Navarro, ex-ministro de Mineração, e Pedro Damián Dorado, ex-vice ministro de Desenvolvimento Rural, que haviam obtido salvo-conduto para deixar o país.

Depois de sair da residência oficial da Embaixada do México, no dia 31 de janeiro, Navarro e Dorado foram detidos no aeroporto de El Alto, a 15 km de La Paz, em uma ação que também não contava com respaldo judicial.

:: Método Lava Jato se espalha pela América Latina contra governos progressistas ::

A capitã Sandoval denuncia que, igualmente, os policiais que se negaram a cumprir com as ordens de Rojas foram transferidos a outras unidades.

Depois das denúncias internacionais e da intervenção de Andrés Manuel López Obrador, presidente do México, os dois ex-funcionários do governo Evo Morales pediram asilo e foram acolhidos em solo mexicano, no dia 2 de fevereiro.

Abordagem contra Luis Arce

Também no mês de janeiro, logo após ser nomeado como candidato à presidência pelo Movimento Ao Socialismo (MAS) durante o congresso realizado na Argentina, o ex-ministro de Economia e Finanças Luis Arce foi notificado pela polícia, ainda no aeroporto de El Alto, por suposto crime de corrupção. Arce foi acusado de desviar dinheiro público do Fundo para o Desenvolvimento dos Povos Indígenas enquanto era ministro.

A operação também foi comandada por Rojas, sem conhecimento prévio dos investigadores encarregados do caso. Para entregar a notificação, o coronel recorreu a policiais da segurança do próprio aeroporto, que abordaram Arce antes mesmo de registrar sua entrada ao país.

:: Coluna | Lawfare latino-americana: a Operação Condor do século 21 ::

Na ocasião, Arce se dirigiu à sede do Ministério Público na capital para depor sobre o caso. “Sou um homem transparente. Vim declarar porque não tenho nada a esconder, não sou corrupto, não sou ladrão. Minha equipe de advogados e a própria procuradora notaram as falhas no procedimento de notificação. Trata-se de um ato eminentemente político contra nossa candidatura”, disse.

A defesa do candidato do MAS afirmou que não havia recebido as acusações formais do processo quando Arce foi convocado a depor. O ex-ministro de Economia e Finanças voltou a ser chamado a depor em fevereiro de 2020, no entanto a ação continua tramitando no Ministério Público de La Paz, sob comando do fiscal Marco Antonio Rodríguez. 




Ao regressar da Argentina, no congresso do MAS que o nomeou candidato presidencial, Luis Arce recebeu a notificação para depor antes mesmo de registrar sua entrada na Bolívia / El Deber

Entre os 11 casos de irregularidades, a capitã Silvia Sandoval Peredo ainda revelou que o coronel Rojas utilizou o cargo para encobrir investigações contra Marcelo Hurtado, um dos diretores da cadeia televisiva ATB e ex-chefe da esposa de Rojas, Carla Rocio de La Torre. 

A chefe da Força Especial de Luta Contra o Crime pede proteção judicial depois de realizar as denúncias dentro da corporação e à imprensa. Ela denuncia que sua residência é vigiada por desconhecidos e que já sofreu tentativas de atentado. Em uma delas, a policial percebeu que teve os freios da sua motocicleta quebrados, ao finalizar uma jornada de trabalho, o que foi interpretado como uma sabotagem.

A situação foi relatada em um memorando entregue ao ministro de Governo de Jeanine Áñez, Arturo Murillo, que nunca respondeu o ofício. 

Outros casos

Os demais casos descritos no dossiê também envolvem corrupção, uso indevido de influência, assédio moral, descumprimento de deveres e violação ao devido processo legal. Em todos os 11, o coronel Rojas estaria implicado, atuando para prender ou violar direitos de ex-integrantes do MAS ou para encobrir familiares e amigos.

A reportagem do Brasil de Fato entrou em contato com a Força Especial de Luta Contra o Crime para ouvir a versão do coronel Iván Rojas sobre os fatos, mas não obteve retorno.

Edição: Luiza Mançano


Boletim Carioca

Assine nossa Newsletter e receba as últimas notícias e ofertas de nossos parceiros em seu email

Veja Também

Últimas Notícias

Horóscopo do dia 25 de outubro de 2020

Confira a previsão do horóscopo do dia 25 de outubro de 2020 e fique por dentro de tudo o que o seu signo lhe reserva para o amor, dinheiro e saúde.

Mais de 2 milhões de pessoas vivem sob ameaça de milícias no RJ, diz deputada

Ao longo de 2020, uma violência contra a juventude negra, sindicalistas, indígenas...
- Publicidade -